Sabe o que acontece quando você diminui a ingestão de açúcar?

Já falamos bastante a respeito do açúcar por aqui, trazendo matérias com curiosidades interessantes sobre ele, usos alternativos que ele pode ter, o que o seu consumo pode provocar no organismo, dicas para quem quer reduzir a ingestão dele, mas não consegue etc. Como você viu, nós realmente curtimos um docinho.

Mas, e quando alguém decide cortar o açúcar industrializado da dieta, o que isso pode fazer com o organismo? Como muita gente considera essa substância uma das grandes vilãs da mesa, será que as consequências são exclusivamente positivas? Descubra o que acontece com o seu corpo a seguir:

Uma hora sem docinhos

No período de apenas uma hora depois de cortar essa substância da dieta, já começam a ocorrer alterações nos níveis hormonais. A insulina, por exemplo, que é um hormônio responsável por regular a quantidade de açúcar no organismo e armazenar o excesso de glicose, sofre uma redução.

Brigadeiro (Divulgação)

O excesso desse hormônio no organismo favorece a retenção de gordura e, portanto, o aumento da massa corporal. Além disso, quando existe uma grande quantidade de insulina no organismo, a queima de calorias e a perda de peso se tornam mais difíceis. Por outro lado, quando os níveis de insulina caem, o corpo passa a consumir a gordura acumulada com mais facilidade e “queimá-la” para obter energia.

Alguns dias sem docinhos

Após um período de alguns dias ou semanas sem consumir açúcar, os níveis de lipídios no organismo começam a cair, especialmente o de triglicerídeos, que nada mais são do que o excesso de gordura no sangue.

E essa “gordurinha”, como você sabe, aumenta o risco de desenvolvimento de problemas cardíacos, já que ela pode levar ao enrijecimento de artérias. Outra consequência do corte na ingestão de açúcar seria a queda nos níveis do colesterol “ruim” — LDL e VLDL — no organismo.

Muitos dias sem docinhos

Depois de passar um longo período sem consumir açúcar, outra consequência é que o paladar dos “abstêmios” muda. Segundo quem passou pela experiência de cortar essa substância da dieta, as coisas que antes pareciam ter sabor normal passam a ter sabor exageradamente doce e enjoativo, e as pessoas passam a desenvolver o gosto por alimentos bem menos adocicados.

Depois de passar um longo período sem consumir açúcar, outra consequência é que o paladar dos “abstêmios” muda. Segundo quem passou pela experiência de cortar essa substância da dieta, as coisas que antes pareciam ter sabor normal passam a ter sabor exageradamente doce e enjoativo, e as pessoas passam a desenvolver o gosto por alimentos bem menos adocicados.

Doce (Divulgação)

Muitos dias sem docinhos

Depois de passar um longo período sem consumir açúcar, outra consequência é que o paladar dos “abstêmios” muda. Segundo quem passou pela experiência de cortar essa substância da dieta, as coisas que antes pareciam ter sabor normal passam a ter sabor exageradamente doce e enjoativo, e as pessoas passam a desenvolver o gosto por alimentos bem menos adocicados.Sendo assim, a própria mudança no paladar faz com que seja mais fácil continuar sem incluir o açúcar na dieta. Isso porque o desejo pelo consumo da substância começa a cair, já que as coisas muito doces deixam de ser tão saborosas.
Outros efeitos

Além das mudanças “orgânicas” que mencionamos acima, outras alterações podem ser observadas em quem deixa de consumir açúcar. Conforme explicamos em uma matéria aqui no Mega Curioso — que você pode conferir na íntegra através deste link —, a ingestão de açúcar industrializado tem impacto direto na pele, na nossa memória, no nosso humor, na disposição que sentimos durante o dia e até no nosso sono.

De acordo com a American Heart Association, o consumo diário de açúcar para mulheres não deve ultrapassar as 100 calorias — o equivalente a 25 gramas ou cerca de 6 colheres de chá —, enquanto para os homens a ingestão máxima por dia deve ficar em 150 calorias (equivalentes a 37,5 gramas ou 9 colheres de chá).

Já a Organização Mundial de Saúde é um pouco mais generosa na sua recomendação e estabelece um limite máximo de 50 gramas — ou 10 pacotinhos de açúcar — por dia. Entretanto, segundo um levantamento conduzido pela OMS, os brasileiros extrapolam o consumo diário em 50%, ou seja, não somos apenas nós aqui do Mega Curioso que temos uma quedinha pelos doces, né?

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui