Como as poucas horas de sono podem ser um ‘atentado’ para a saúde

Não é à toa que dizemos que precisamos de um 'sono de beleza' quando estamos com olheiras ou de um 'sono reparador' quando nos sentimos cansados.

0
271
Saiba as consequências de dormir pouco
Saiba as consequências de dormir pouco

Poucas horas de sono

Não é à toa que dizemos que precisamos de um ‘sono de beleza’ quando estamos com olheiras ou de um ‘sono reparador’ quando nos sentimos cansados. O sono é mesmo a melhor forma de fazer o devido ‘reset’ ao nosso organismo e de lhe dar uma nova oportunidade de ser saudável – e de ter mais charme.

Para o estudo, foram analisados quatro voluntários ‘abençoados’ com a capacidade de dormir muito e bem. Estes participantes tinham o hábito de dormir oito horas por noite, mas, no estudo, foram desafiados a dormir apenas quatro em três noites consecutivas.

Ao longo dos dias de experiência, os participantes tiveram que gravar alguns vídeos do seu dia a dia e ainda preencher um questionário sobre o seu estado emocional, físico e de humor. E não foi difícil perceber, através do questionário, como apenas três noites mal dormidas têm um verdadeiro impacto nas pessoas.

“Houve um aumento da ansiedade, da depressão e do stress. Também aumentou a paranoia e o sentimento de desconfiança em relação às outras pessoas”, conta a mentora do estudo, Sarah Reeve.

A importância de uma boa rotina de sono tem sido defendida de forma assertiva pela ciência, que não hesita em mostrar como uma sequência de noites mal dormidas é meio caminho andado para ‘desregular’ o nosso ADN, para promover o ganho de peso – e, por consequência, ter diabetes, hipertensão e problemas articulares – e ainda para se perder saúde cardiovascular até mesmo mental.

 

Dormir pouco não é algo que nosso cérebro e nosso organismo possam suportar durante muito tempo.

A insônia ocasional, que se associa ao estresse ou a alguma doença pontual, não representa um impacto tão grave quanto a insônia crônica.

1. Dormir pouco altera sua flora intestinal

Isso é curioso, mas verdadeiro. A essa conclusão chegou a Universidade de Uppsala, na Suécia.

  • Os responsáveis por esse estudo descobriram que dormir pouco durante longos períodos de tempo reduz a variedade de tipos de bactérias intestinais.
  • A saúde metabólica se vê afetada quando há menos tipos desses micro-organismos.
  • Não podemos nos esquecer de que uma flora intestinal de má qualidade tem importantes efeitos em nossa saúde em geral: o corpo desenvolve uma resistência à insulina, ganhamos peso, nossa imunidade é prejudicada, os nutrientes são mal absorvidos…

2. A insônia e a diabetes

Este dado é importante: dormir pouco afeta a tolerância à glicose. Assim, podemos desenvolver diabetes.

  • Esse é um problema que pode afetar de forma mais habitual a população mais velha.
  • Ainda assim, sofrer com o sobrepeso e dormir menos de 6 horas também se associa a esse mesmo problema, assim como indicam vários estudos científicos.
  • 3. Dormir pouco afeta a saúde do seu coração

  • Dormir três horas a menos do que o que necessitamos a cada dia tem um sério impacto sobre o nosso coração. Imaginemos por um momento que, ao longo de três meses, descansamos entre 4 ou 5 horas por dia.

    Apesar de acreditarmos que com isso “já dormimos o suficiente”, nosso corpo não entende assim. De fato, quem mais vai sofrer é o nosso coração.

    • Dormir pouco eleva nossa pressão sanguínea.
    • Altera nosso metabolismo, desenvolve a resistência à insulina.
    • Aumenta a inflamação (os músculos do coração se tornam mais rígidos ao experimentarem um maior estresse).

    A falta de sono, assim como indicam vários estudos, é um feroz inimigo do nosso coração.

    4. A insônia e a perda de memória

    Não é preciso sofrer de insônia crônica para notar como a falta de sono afeta nossa atenção, nossa capacidade de resposta e a concentração.

    • A memória de trabalho é muito afetada quando não dormimos o suficiente. No caso do problema se tornar crônico, isso afetará a nossa qualidade de vida.
    • Aspectos tão comuns como manter uma conversa, lembrar-se de frases ou solucionar problemas de baixo nível de dificuldade se alteram por completo, como nos revelam várias investigações médicas.

    5. Quanto mais ansiedade, menos descanso. Quanto menos descanso, mais ansiedade

  • É um círculo vicioso devastador. O estresse e a ansiedade afetam a qualidade de nosso descanso. No caso do problema se tornar crônico, a situação se intensifica ainda mais.

    A mente e o corpo estão intimamente conectados, de modo que essa “dívida de sono” periódica altera nosso equilíbrio interno, nos deixando ainda mais nervosos e excitados.

    Para concluir, não hesite em pedir ajudaem consultar um bom especialista para recuperar a qualidade de seu sono.

    Lembre-se do famoso ditado popular que diz: “às vezes a solução de todos os males está num bom descanso”.

  • Fonte: Melhor com Saúde

Mais de onze milhões de brasileiros têm depressão

 

Saiba o que pode acontecer após o aborto

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui